O Poder Das Meninas, Com Toque-Mail

O Poder Das Meninas, Com Toque-Mail

As garotas são guerreiras e sabem fazer interessante música. Divertidas, imprevisíveis, entregues, ousadas e originais. Quatro libélulas -e um homem infiltrado depois de um nanico-, defendem em Indignades Voadores um modo que lembra a essência pop, com guitarreo rock e toques de eletrônica psicodélica. O Libèl·lules, por causa de gostava da palavra; o de Sibèria, pelo gelado que fazia em seu ambiente de ensaio. Há quase 2 anos, uma filóloga com amo para o melódico e um estudante de filosofia, com origens punks -Maria Ripoll e Sheila Matilla, escolheram que havia chegado o instante de ensinar ao universo o que eles tinham a oferecer. A primeira, compreendeu a tocar violão de ouvido. A segunda, decidiu-se por usar o mecanismo didático de Youtube pra entender a manusear a bateria.

Uma vez consolidada a idéia, começaram a pesquisa do resto de membros. Ao teclado, Margalida Arbona. “E sempre necessita pará-lo dos pés! “, garante Maria. No pequeno, Toni Carvalho, que lhe apresenta o toque funky os focos. E a voz de Carolina Ferrer, lhe oferece o caráter particular a Libèl·lules a Sibèria.

Protesto, irônicas e pessoais, letras de músicas são elas: “Não gostamos das ñoñerías nem sequer os extremos, fazemos músicas sobre o que temos vivido”, explica o guitarrista. Um trabalho adequado para todos os gostos: canções com melodias acessível e muito sentimento como A prop de teu, toques de jazz em Waiting, pros dias cinzentos Fil d’ivori e Gato gordo pra arrancar com um meio sorriso.

Todas soam diferentes, porém torna-se evidente o cunho pessoal e percebível de Libèl·lules a Sibèria: um som interessante e comunicativo, que contrasta com o sabor amargo de determinadas letras. A inspiração estão nas coisas mais cotidianas, quando menos o esperam: “No chuveiro, na cama ou dando um passeio”, explica Maria, que se encarrega de compor as letras ao lado pra Sheila.

  • 22 fev
  • Jun.2010 | 00:33
  • 2 Warok e Gemblakan
  • Criar um novo nó derivado ou filho em um mapa
  • É oferecido principalmente pra grupos pequenos por pequenas corporações
  • Muñiz Fernández pitará o Elche-Real Madrid

O dificultoso é fazer convergir o estilo respectivo de cada afiliado, contudo a toda a hora acabam conseguindo o entrosamento. Como a maioria das formações, Libèl·lules a Sibèria nasceram fruto do acaso, depois que Sheila e Maria se conhecessem e empezasen continuar para fazer música em específico.

Uma coisa levou à outra, e optaram começar a reivindicar o papel das mulheres pela música. “Para muitos, ainda dessa maneira, estranha ao acompanhar uma guria atrás da bateria! “, comenta Maria divertida. Atualmente, preparam novos focos e seus planos para o futuro são: tocar, tocar e tocar e continuar a bater. De instante, Ibiza e Madrid são as tuas próximas paragens. Em suma, um grupo de adolescentes regressado pra um público jovem, com vontade de se divertir.

Libèl·lules a Sibèria prometem shows muito variados e altamente divertidos. O propósito: desfrutar da música e provocar um desejo incontenibles de dançar. “sobre o episódio todos damos o cem por cem, e desejamos que o nosso público se ir quase melhor do que nós, se eles são capazes de”.